terça-feira, 5 de junho de 2018

HEALTH | Mudar "aquela altura do mês" com o copo menstrual

[Adenda: se não quiserem ler publicações que incluam menções a fluidos corporais, esta publicação não é para vocês.]

Hoje quero falar-vos sobre uma descoberta recente: os copos menstruais. Não torçam já o nariz e leiam até ao fim. Tenho esta publicação preparada há algum tempo, mas a verdade é que quanto mais uso o copo menstrual, mais coisas novas vou descobrindo e, por isso, fui protelando a publicação, para poder ir actualizando com a minha  opinião após ter uma experiência mais robusta. Já andava curiosa com este assunto há algum tempo, mas ainda não tinha dado o passo em frente. Não sei muito bem onde, há uns meses voltei a deparar-me com uma menção aos copos menstruais, pesquisei muito e achei que era a altura certa para experimentar. Não sei quantas marcas de copos menstruais existem em Portugal, mas nos vídeos internacionais que vi, deparei-me com imensas marcas diferentes! Há até blogs e canais do YouTube dedicados exclusivamente a este assunto. Acabei por optar pelos copos da marca Me Luna, que têm representantes em Portugal e que são super fáceis de encontrar. Muita da informação desta publicação foi retirada do site da marca porque queria ter toda a informação que possam necessitar para ficarem a perceber um pouco sobre o assunto, mas a ideia é partilhar a minha experiência também. Preparem-se, porque vai ser uma publicação bem extensa e informativa!



O que é o copo menstrual?
O copo menstrual é um dispositivo maleável em formato de copinho que é inserido no canal vaginal (como se fosse um tampão) para recolher o fluxo menstrual. Após a sua inserção (vejam pormenores mais abaixo), o copo abre e ajusta-se ao canal vaginal, formando vácuo, o que impede qualquer vazamento (se estiver bem colocado). Um copo menstrual pode ser utilizado por até 12 horas, evitando o incómodo de mudar de penso/tampão várias vezes ao dia (sabiam que não se deve utilizar o mesmo tampão durante mais do que 8 horas, certo? O ideal é mudar a cada 3 ou 4 horas).
É um dispositivo reutilizável, o que o torna uma alternativa simples, prática, higiénica e económica em relação aos materiais absorventes (pensos e tampões).
Existem em diferentes materiais e, no caso do Me Luna, é feito de elastómero termoplástico (TPE), o mesmo material que é utilizado, por exemplo, em tetinas dos biberões dos bebés, em catéteres e em implantes médicos.




Algumas vantagens do copo menstrual:
▸ São desenvolvidos para se adaptarem perfeitamente à anatomia feminina, pelo que são bastante confortáveis e podem ser utilizados em qualquer situação: durante o exercício físico, na praia, durante a noite...
▸ É capaz de reter mais líquido que qualquer outro absorvente natural.
▸ É invisível.
▸ Não é absorvente, mantendo a humidade e a protecção natural da vagina (ao contrário dos tampões). Também não altera o seu pH natural.
▸ Não possui aditivos químicos, ao contrário do que acontece com os absorventes, pelo que o risco de alergias e irritações é minimizado.
▸ Minimiza (muito!) os maus odores associados aos métodos absorventes.
▸ As marcas referem que como o sangue que fica dentro do copinho se mantém em vácuo, não oxida e não se verifica a proliferação de bactérias e fungos, evitando a síndrome do choque tóxico e outras infecções (como pode acontecer com os absorventes tradicionais) - pesquisei um pouco e penso que ao longo de imensos anos de uso (foram inventados em 1937), existiram 2 casos de síndrome do choque tóxico relacionados com os copos menstruais, mas associados a uma utilização durante um período superior ao que é recomendado.
▸ Diminuição de resíduos: usando o copo menstrual deixamos de utilizar os tampões e pensos que são depositados em lixeiras e aterros e poluem o ambiente. Estima-se que em todo o planeta sejam utilizados 13.699 absorventes por segundo, nas zonas urbanas. Dá que pensar!
▸ Poupança: já pensaram quanto gastamos numa vida em tampões e pensos? Estima-se que cada mulher gaste cerca de 7,50€ por mês em absorventes. Em coisa de 3-4 meses o copo menstrual fica pago e, se cuidarem dele devidamente, durará alguns anos.
▸ Não é testado em animais.








Possíveis desvantagens:
▸ Possibilidade de infecção: esta probabilidade é bastante baixa se tiverem regras de higiene correctas - as mãos têm que estar bem limpas e é necessário ter certos cuidados em relação à limpeza do copo, que podem ler mais abaixo.
▸ Probabilidade de má colocação ou copo de características inadequadas: cada pessoa tem uma anatomia própria e nem tudo o que funciona com uma pessoa funciona com outra. Pessoas com prolapsos uterinos, por exemplo, podem ter mais dificuldade em encontrar o copo certo e às vezes é preciso testar mais do que um para encontrar o que mais se adequa. Para além disso, inicialmente pode ser difícil atinar com a colocação do copo, fazendo com que este fique mal colocado. Contudo, conforme vão utilizando, vão percebendo melhor a técnica de inserção e este problema vai sendo cada vez menos frequente.
▸ "Agravamento" de hemorróidas: se sofrerem deste problema, a utilização do copo pode fazer com que as hemorróidas exteriorizem mais facilmente, principalmente com os copos mais rígidos.


Como escolher o copo menstrual correcto?
Escolher o copo certo pode não ser tarefa fácil e podemos não acertar à primeira. Existem imensas marcas diferentes, mas posso garantir-vos que a Me Luna é aquela que disponibiliza mais opções,  pelo que dificilmente não haverá opção para todas as mulheres. Contudo, quanto temos muitas opções a tarefa de escolher pode ficar mais difícil, certo? Para nos facilitar um pouco a vida, a Me Luna disponibiliza um questionário que nos dá uma certa indicação de qual poderá ser o mais adequado. Podem preencher o questionário aqui.

1) Escolher o tamanho
Uma das coisas que a MeLuna tem de melhor é a variedade dos tamanhos. Existem 2 categorias: Normal (para a maior parte das utilizadoras) e Shorty (para mulheres com características ou patologias específicas, tais como, cérvix "descaído", útero retrovertido ou prolapsos uterinos); e cada uma das categorias apresenta 4 tamanhos: S, M, L e XL.
Isto não é estanque mas, de um modo geral, as indicações padronizadas são as seguintes:
Tamanho S: é aconselhado para meninas mais novas, no início da menstruação, e/ou virgens, que ainda não usam tampões, ou para mulheres com estatura muito baixa/estrutura muito pequena. Como é um copo bastante pequeno, pode não ser suficiente para suportar o fluxo menstrual durante 12 horas, pelo que a utilização deste copo pode implicar ter que se repetir o ritual de "retirar, lavar e voltar a colocar" mais vezes.
▸ Tamanho M: é aconselhado para mulheres sem filhos, de estatura média/estrutura normal.
▸ Tamanho L: é aconselhado para mulheres com filhos (parto vaginal ou, em caso de cesariana, que tenham feito a dilatação), uma vez que o parto/dilatação faz com que o canal vaginal alargue. É também este o modelo aconselhado para mulheres de estatura média ou alta/estrutura normal ou forte.
▸ Tamanho XL: é o tamanho aconselhado para pessoas com hemorragias abundantes, quer sejam fisiológicas quer estejam relacionadas com algum problema de base que aumente o fluxo menstrual (endometriose, miomas, etc.).

Em cima o modelo Normal: S, M, L e XL
Em baixo o modelo Shorty: S, M, L e XL


Um copo será demasiado pequeno se não selar totalmente, deslizar ou rodar dentro da vagina ou se for muito difícil de remover quando se coloca mais profundamente. Pelo contrário, será demasiado grande se não abrir completamente no interior da vagina ou causar desconforto ou dor.
Em relação à quantidade de fluxo, este não é o único factor a ter em conta. Se uma mulher tiver muito fluxo e escolher um copo demasiado grande, este pode não abrir totalmente ou pode ser desconfortável. Já no inverso, uma pessoa pode ter pouco fluxo, mas se usar um copo demasiado pequeno, este pode não selar completamente o fluxo.


2) Escolher a maleabilidade
Após percebermos qual o tamanho, segue-se a escolha da maleabilidade do copo. A ideia chave é: para vedar com eficácia a saída do sangue, o copo deve ser suficientemente rígido para abrir dentro do canal vaginal ao mesmo tempo que os músculos vaginais oferecem resistência à sua abertura, ou seja, em nenhuma circunstância o copo pode ficar compactado e com a abertura fechada. Apesar disso, o copo não deve causar pressão ou desconforto dentro do canal vaginal após colocado (se estiver bem colocado, claro). É suposto não sentir que estamos a utilizar o copo.

Na Me Luna existem 3 opções
Classic: o copo que serve para maioria das mulheres. É indicado para mulheres com musculatura pélvica normalmente desenvolvida ou para pessoas com sensibilidade normal (ou seja, que não sentem dor ou pressão quando utilizam tampões).
▸ Soft: 25% mais maleável que o Classic, é o copo mais mole da marca. É aquele que se consegue dobrar mais facilmente, mas também o que oferece menos resistência aos músculos vaginais, ou seja, é o copo que tem mais dificuldade em abrir dentro do canal vaginal. Deste modo, usar um Me Luna Soft requer mais prática do que usar um Me Luna Classic. Está indicado para as mulheres mais sensíveis (que sentem desconforto/dor/pressão quando utilizam tampões ou que são mais sensíveis à dor e pressão) ou mulheres com músculos pélvicos menos desenvolvidos.
▸ Sport: 25% mais resistente que o Me Luna Classic, é o copo mais "rijo" e aquele que abre mais facilmente, assim que o largamos. Devido à sua menor maleabilidade, é o copo mais difícil de usar mas também aquele que abre melhor, mesmo nas mulheres com músculos pélvicos mais fortes. Esta característica permite que o copo se mantenha aberto mesmo durante os desportos e exercícios mais violentos. Este copo foi desenvolvido para mulheres com uma preparação física acima da média e para mulheres com músculos pélvicos bem tonificados (praticantes de yoga, equitação, pilates ou dança do varão, por exemplo).


No bordo dos copos da Me Luna, na parte de dentro, encontram duas inscrições em relevo, que indicam o seu tamanho e maleabilidade.


3) Escolher a pega
Também neste campo a Me Luna tem opções para agradar a todas. Existem 4 modelos à escolha:
▸ Anel: o modelo favorito dos iniciantes, por ser mais fácil de agarrar para remover.
▸ Bola: é a pega escolhida pela maior parte das utilizadoras.
Haste: esta pega é recomendada para mulheres que se sentem mais confortáveis a utilizar o Me Luna mais profundamente na vagina ou cujo colo do útero se encontra mais longe da entrada da vagina. Como a haste é a pega mais comprida, permite a remoção do copo mesmo que seja colocado mais profundamente. Se necessário, pode cortar-se a haste de acordo com o comprimento desejado.
Básico: é o modelo sem pega e, por isso, só é recomendado para utilizadoras bastante experientes.




4) Escolher a cor
Cada maleabilidade tem diferentes cores disponíveis e, dentro de um mesmo modelo, a cor é meramente uma questão estética e de gosto pessoal. O modelo com mais cores disponíveis é o Classic, por ser o modelo mais vendido da marca. As cores disponíveis são as seguintes (coloquei entre parêntisis as que não existem cá em Portugal, que são poucas):
Normal Classic: transparente, preto, vermelho, azul, verde, laranja, roxo (transparente com glitter azul);
Normal Soft: azul ciano, rosa, amarelo (transparente com glitter prateado);
▸ Normal Sport: azul violeta (transparente com glitter dourado);
▸ Shorty Classic: transparente, vermelho, roxo;
▸ Shorty Soft: rosa (azul ciano);
▸ Shorty Sport: azul violeta.
Uma coisa que pode interessar para a vossa escolha é que os copos "transparentes" têm uma certa tendência a ficarem amarelados com o tempo. No entanto, os copos mais claros são aqueles em que é mais fácil perceber se já retirámos todos os resíduos durante a limpeza.


Os copos com glitter - Normal (à esquerda) e Sport (à direita)


Como se insere?
O primeiro pensamento de quem olha para os copos menstruais pela primeira vez poderá ser "deve ser difícil de colocar". A verdade é que depois de lhe apanharem o jeito, a inserção torna-se uma tarefa fácil. É uma questão de prática e de conhecermos o nosso corpo. Primeiro que tudo, o óbvio: o copo não é inserido no interior da vagina aberto. É suposto dobrarmos/enrolarmos/quase fazermos figurinhas Origami com o copo para o deixarmos mais estreitinho e só depois o inserimos. Depois de dobrar, devemos encontrar a posição mais confortável para a inserção - com uma perna elevada, agachadas, sentadas na sanita, no bidé... E depois é só inserir!

Fonte


Mas Rita, explica lá isso um bocadinho melhor. Vamos a isto então (com a ajuda da imagem acima):
1. Lavar as mãos (muito importante) e passar o copo por água fria.
2. Pegar no copinho lavado e fazer a dobra que gostamos mais/que abre mais facilmente connosco.
3. Assumir a posição mais prática para a inserção (pode variar de pessoa para pessoa).
4. Afastar os grandes lábios e começar a inserir o copo pela zona mais estreita, mantendo-o dobrado enquanto for possível.
5. Continuar a inserir o copo, até ficar todo no interior da vagina (ou apenas com a pega de fora). O copo fica inserido numa posição mais baixa do que um tampão, o que facilita a sua remoção.
6. Apertar os músculos pélvicos para ajustar o copo na sua posição. Para garantir que está completamente aberto, rodar o copo devagar agarrando na sua base ou na pega. Uma alternativa é inserir um dedo na vagina e contornar o copo ao longo da sua borda para perceber se está aberto (ou para empurrar a dobra se o copo não tiver aberto).

Uma dica: Antes de colocarem o copo, passem-no por água fria, porque ajuda a que abra mais facilmente no interior da vagina (se estiver quente, torna-se mais maleável).

Em relação às dobras, existem imensas opções possíveis e há vídeos só sobre isso no YouTube, como este que vos deixo em seguida, para poderem ver em movimento como se fazem algumas das dobras. Naquelas dobras em que a borda do copo ficar para fora do copo, pode empurrar-se essa borda de baixo para cima, com a ajuda do dedo, para forçar o copo abrir. Noutras dobras, nas quais a extremidade do copo fica para dentro do copo ("punch down", por exemplo), este processo é mais complicado.



É a partir de agora que quero contar-vos a minha experiência. Apesar de ser alta, escolhi o modelo M porque tenho pouco fluxo, apesar de o questionário apontar para o tamanho M/L. O questionário ajuda bastante a ter uma ideia de qual poderá ser o melhor copo para nós, por isso, aconselho-vos a espreitarem aqui (já tinha deixado o link lá em cima, mas fica novamente para o caso de terem visto na diagonal).
A primeira vez que utilizei o meu copo menstrual foi no 1º dia da menstruação e optei por experimentá-lo à noite, para perceber se conseguia utilizar introduzir esta alteração meu dia-a-dia de pessoa menstruada, antes de o utilizar durante o dia no trabalho. Escolhi o Classic para começar, porque é mais fácil de fazer as dobras, e deixei o Sport para depois. Quando utilizamos o copo as primeiras vezes, temos sempre que tentar perceber qual é a dobra que funciona melhor connosco. Já tinha visto vários vídeos e lido várias publicações sobre copos menstruais, pelo que já tinha a teoria mais ou menos estudada, mas não deixei de dar uma olhadela no folheto informativo que vem com o copo. Experimentei algumas dobras e, para mim, e uma das primeiras que utilizei foi a "punch down", que podem ver na imagem abaixo. Para além de prática de fazer, com esta dobra é muito fácil introduzir o copo, porque fica com uma área de introdução pequena na extremidade. Depois de inserirem essa parte estreita, a parte mais larga também entra gradualmente sem problemas. É só empurrar o copo até onde conseguirem e é suposto ficar numa posição baixa, ou seja, conseguem facilmente chegar à pega que fica muito próxima da entrada da vagina. Conforme fui utilizando o copo, percebi que me dou melhor com a dobra do triângulo, porque nesta é mais fácil forçar o copo a abrir quando este não se abre naturalmente, uma vez que a borda do copo fica para fora do copo (ao contrário da punch down, em que fica para dentro) e podemos empurrar facilmente a pontinha que fica dobrada para ajudar a abrir.

Como já disse, também é importante perceberem qual é a posição que vos dá mais jeito para inserir o copo. Inicialmente optava pela posição "pé em cima da sanita", mas depois percebi que se estiver sentada no bidé, com a bacia bem virada para a frente (em vez de ter as costas muito direitinhas, "encolhendo" o rabiosque e arqueando as costas), o copo abre muito melhor. Tanto que às vezes até oiço o barulho do ar enquanto o copo abre.

Depois de inserido, a ideia é rodar o copo pela base ou pela pega quando o introduzem mas, por muito que tentasse fazer isto de todas as vezes que introduzi o copo, não consegui (e ainda não consigo). No entanto, resolvi o assunto introduzindo o dedo e contornando o bordo do copo. Uma dica que pode dar jeito: como com a dobra punch down ou com a do triângulo a parte que abre do copo fica em contacto com a parede anterior da vagina (e como não dá jeito introduzir o dedo com a palma da mão virada para trás/baixo para ser a polpa do dedo a tocar no copo nesta zona que abre), costumo fazer a dobra e voltar o copo ao contrário, de modo a que a zona que abre do copo fique voltada para a parede posterior da vagina. Desta forma, inserindo o dedo (com a palma da mão voltada para cima), junto à parte posterior do copo, consigo logo perceber com a polpa do dedo se a dobra abriu ou não. Espero ter-me feito entender!

À esquerda o copo acabado de dobrar e à direita a forma como o introduzo, para a parte aberta do copo ficar na parede anterior (frente) da vagina e a parte que abre ficar na parede posterior (trás) da vagina, para ser mais fácil introduzir o dedo e verificar se o copo abriu ou não.


Geralmente, sujo muito ligeiramente as cuequitas nos 2 primeiros dias da menstruação, mas uma coisa ínfima, que me parece serem os restos que estão agarrados à parede vaginal, abaixo do copo, que acabam por sair com o tempo. Nos outros dias com menos fluxo já não acontece. Ainda assim, tenciono experimentar o copo L futuramente, para ver se consigo não sujar mesmo nada.

Depois de experimentar o copo Classic, passei para o Sport. Não achei que fosse mais difícil de inserir - só é mais difícil fazer algumas das dobras, pelo facto de ser menos maleável. Abre mais facilmente no interior da vagina e, tal como o Classic, não se sente. Com o copo Sport consigo rodá-lo parcialmente através da pega, mas continua sem ser super fácil. A única coisa que me faz mais impressão é a remover, porque não consigo apertá-lo tão bem para o tornar mais estreito ao sair, mas não dói nem coisa que se pareça. É só mesmo a sensação do copo a sair.
As pegas não têm qualquer implicação na inserção do copo, por isso, falo delas mais à frente, na parte da remoção.

Duas pegas diferentes: em anel e bola


Inicialmente optei por utilizar um lubrificante à base de água para introduzir o copo, porque facilitava o processo. Se precisarem desta dica, tentem colocar apenas na extremidade e não onde agarram, porque pode tornar-se um pouco mais difícil manterem a dobra feita (fica mais escorregadio). Com o tempo fui-me habituando a colocar o copo sem lubrificante e não tenho sentido necessidade de utilizar. Mas ficam a saber que é uma opção válida, principalmente para começar.

Depois de (correctamente) colocado, o copo não se sente, não há cheiros, não sujeiras, não há comichões nem reacções alérgicas (que era o meu caso com os pensos). Até me esqueço que estou com o período! E não se preocupem que podem utilizar o WC à vontade enquanto utilizam o copo, que este não vai sair disparado, mesmo quando evacuam (li um ou outro relato de copos que saíram durante a utilização do WC, mas penso que seja um acontecimento pouco frequente). No meu caso, consigo utilizar o copo durante as 12 horas máximas que se recomendam, mesmo nos dois dias em que tenho mais fluxo (nem nunca encho o copo sequer), de dia e de noite. Também utilizei no ginásio, saltei, fiz muitos agachamentos com pesos e nada saiu do sítio (tanto com o Normal como com o Sport). Depois do período máximo de 12 horas (pode ser necessário fazê-lo mais cedo no caso de se ter muito fluxo), é só retirar, lavar e colocar novamente. No início, como não conseguimos ter a noção da quantidade de fluxo que temos em mL, é recomendável esvaziar, lavar e voltar a introduzir o copo com a mesma frequência que faríamos com um absorvente comum.


Como se remove?
Para uma iniciante, penso que o processo de remoção será mais estranho ainda do que a inserção. A primeira coisa a ter em atenção é perceber qual a posição em que vos dá mais jeito estar para remover (com uma perna apoiada numa superfície mais alta, agachadas...). Depois basta puxar pela pega devagar ao mesmo tempo que fazem força com os músculos pélvicos para empurrar o copo para baixo. Assim que for possível, devem agarrar a base do copo (onde tem aquelas 4 tirinhas circulares para ser mais fácil agarrar sem escorregar) e apertar para quebrar o vácuo e puxar. Depois é só deitar o conteúdo do copo na sanita (banheira, bidé), lavar o copo com água e sabão e voltar a inserir.

Como já disse, já tinha procurado bastante informação sobre o assunto - até já tinha lido algumas experiências um pouco traumáticas sobre a remoção -, mas não acho que seja um processo complicado. Em relação às pegas, experimentei duas: o anel e a bola. Como disse, a pega é mais importante para a remoção do que para a inserção. A primeira que experimentei foi a pega em anel, que é muito fácil de se agarrar para facilitar a remoção. Só depois experimentei a pega com a bola que, na minha opinião, não é tão fácil agarrar para remover. Mas é uma questão de gostos. Pela minha experiência, recomendaria começarem pela pega em anel. Só devem puxar pela pega até conseguirem agarrar a base do copo. Depois é só apertar e puxar, e o copo vem, sem stresses. As pessoas que podem ter mais dificuldade em remover são aquelas que escolhem um copo que é demasiado pequeno, porque nesse caso o copo pode ficar introduzido mais profundamente e será mais difícil conseguir chegar à pega. No meu caso, a pega fica mesmo à entrada da vagina e consigo facilmente agarrá-la. Acho que o melhor conselho que tenho para vos dar é que a posição em que retiram o copo pode fazer toda a diferença - experimentei no banho com uma perna apoiada na beira da banheira e não me deu tanto jeito quanto me dá no bidé, possivelmente porque faço báscula da bacia (aquele movimento de empurrarmos o rabo para a frente, que já falei anteriormente) e dá-me jeito desta forma.

Se vão sujar as mãos? Vão. Se é um processo que dá mais jeito fazer no sossego e higiene da nossa casa? Sem dúvida. A parte boa é que como consigo utilizar o copo durante 12 horas sem ter que o despejar, pelo que não preciso de o mudar fora de casa e isso facilita-me imenso a vida.

Como fazer para "trocar" o copo num WC público? 
Se for um sítio em que tenham um lavatório à mão no mesmo sítio onde retiram o copo, óptimo, é fazer como fazem em casa. Caso contrário, têm algumas opções para limpar o copo antes de o voltar a inserir: uma garrafa de água, toalhitas próprias (no site europeu da Me Luna encontram, mas acredito que também existam alternativas nas farmácias) ou papel higiénico/lenços de papel. Não se esqueçam que as mãos têm que estar limpas quando forem tirar o copo, portanto, se não houver água ou toalhitas desinfectantes, podem usar um gel antibacteriano (daqueles que vêm em garrafinhas pequeninas e práticas de transportar). Há toda uma panóplia de acessórios que podem eventualmente ajudar. Espreitem aqui.

Não se esqueçam de lavar sempre as mãos antes de introduzir e retirar o copo menstrual.


Limpeza
Existem 2 tipos de limpeza: a diária, no decurso do período, e a mensal, que ocorre no final da menstruação.
▸ Diária: diariamente, basta lavar o copo menstrual com água corrente fria. Há quem fale em usar água e sabão (suave e sem perfume, preferencialmente - há algumas marcas que têm sabonete próprio para copos menstruais), mas com água corrente costuma ficar bem. Se utilizarem sabão, não se esqueçam de garantir que limparam todos os vestígios de produto que possa ficar no copo antes da inserção, caso contrário pode arder e irritar a mucosa vaginal! Esta manutenção é feita de 12 em 12 horas (ou num menor período, se precisarem de esvaziar o copo mais cedo), quando despejam o copo e o colocam novamente. Como já vos disse, a água fria ajuda a que o copo fique menos maleável, sendo mais fácil de abrir após inserção. Certifiquem-se sempre se os pequenos orifícios do copo ficam bem limpos. A Me Luna tem uns pequenos escovilhões que podem utilizar para ajudar nesta tarefa (eu precisei deles) - se não encontrarem estes (perguntei na parafarmácia do Jumbo e não tinham), têm como opção estes do Jumbo que funcionam lindamente!
▸ No fim da menstruação: no final de cada menstruação o copo menstrual deve ser esterilizado. Existem 2 métodos: a esterilização a quente, onde se coloca o MeLuna em água a ferver por 1-2 minutos (é importante que tenha água suficiente para o copo ficar completamente coberto e não entrar em contacto com o fundo da panela) e a esterilização a frio, com produtos fáceis de encontrar nas farmácias ou até nos supermercados: as pastilhas Milton (usadas para esterilizar biberões e tetinas) ou as pastilhas Corega (para desinfectar dentaduras) - estes produtos estão também disponíveis na loja online da Me Luna. A esterilização a quente pode ser feita ao lume ou então no microondas, em recipiente próprio. A marca disponibiliza uma "caixinha" de silicone, que pode ir ao microondas e é este o método que tenho utilizado mais vezes (acho que me ia fazer confusão ferver o copo menstrual num tacho que utilizo para cozinhar). Há ainda um terceiro método, que é a desinfecção com água oxigenada (peróxido de hidrogénio) até 12% - este é particularmente bom quando os copos começam a ficar amarelados (frequente nos "transparentes"). De vez em quando pode ferver-se o copo em água com um pouco de sal ou vinagre (com concentração inferior a 3%, em água fria ou quente), já que este processo evita manchas ou depósitos.
Depois de estar bem seco, o Me Luna deve ser guardado na sua bolsinha, até à próxima menstruação. Deve evitar-se guardá-lo em caixas que não tenha orifícios de ventilação e não deve ser deixado ao sol. Antes de voltarem a utilizar o vosso Me Luna, principalmente se utilizaram algum método de esterilização a frio, não se esqueçam de enxaguar muito bem antes de voltar a utilizar, evitando a irritação da mucosa vaginal por resíduos químicos.
▸ Primeira utilização: antes de utilizarem o vosso Me Luna pela primeira vez devem esterilizá-lo por cerca de 3 minutos em água a ferver. Não se esqueçam de confirmar se os orifícios do copo estão abertos. 







O único problema que eu encontrei ao utilizar o copo menstrual foi o facto de interferir com uma hemorróida que tenho há algum tempo... Houve inclusivamente um mês em que não consegui utilizar o copo por este motivo (estava mais inflamada e a utilização do copo fazia com que ficasse com mais dores). Quem tiver hemorróidas internas (daquelas que exteriorizam de vez em quando), poderão reparar que utilizando o copo, há maior probabilidade de exteriorizar, apenas quando tiram o copo ou mesmo durante a utilização do copo, porque há sempre uma certa pressão que o copo faz contra a parede do recto, que não é costume estar ali. À partida, o resto dos "problemas" que podem ter não são verdadeiros problemas (má colocação do copo, dificuldade em inserir ou em remover, etc.) e são coisas que melhoram conforme vão utilizando o copo mais vezes.


Preço e onde comprar
O Me Luna custa 24€ com oferta dos portes, no site da marca. Não há loja física própria da marca, mas podem encontrá-lo em sítios facilmente acessíveis: Well's, Espaços Saúde e Bem-Estar do Jumbo, El Corte Inglès e em diversas farmácias e parafarmácias (têm uma lista aqui). Na loja europeia de Me Luna (de onde mandei vir as versões com glitter), já com portes fica por 21,70€ (mas demora mais tempo a chegar).


Conclusão
Tudo isto parece muito estranho, mas depois de começarem a utilizar, percebem que é mais fácil do que parece! Acreditem em mim: é muito mais estranho de se imaginar do que de se usar. É  mesmo muito confortável (para mim, mais do que os tampões), é eficaz, e quando o utilizo até me esqueço que estou com o período, por andar tão limpinha e sem odores. A sensação de só ter que me preocupar com o meu período no início e no fim do dia é fantástica. Claro que a utilização de um copo menstrual tem a sua curva de aprendizagem e a inserção e remoção vai melhorando com o tempo. Eu própria ainda venho a descobrir algumas coisas a cada mês que utilizo o copo, mas decidi partilhar a minha experiência na mesma, porque tem sido bastante positiva.

Para terminar deixo-vos uma tabela comparativa dos diferentes métodos disponíveis (vá, faltam os pensos de pano reutilizáveis).

Adaptado daqui.


Nota: os dois copos que vos mostrei foram oferecidos pela marca para teste, mas também já comprei outros dois, com purpurinas, no site europeu (que disponibiliza mais cores do que o site português). Já tinha encomendado um dos copos quando recebi os copos da marca pelas representantes de cá e depois acabei por encomendar o Sport (com purpurinas). As encomendas vêm da Alemanha e a primeira encomenda chegou em cerca de 6 dias, mas a segunda demorou mais de 2 semanas... Ainda assim, como tem número de rastreio, acaba por ser fácil ir seguindo a encomenda. Se não quiserem nenhuma cor em particular, recomendo o site português ou qualquer ponto de venda onde possam ver os copos (Well's, Espaço Saúde do Jumbo, etc.).

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...