terça-feira, 27 de janeiro de 2015

HEALTH | Pele atópica

Hoje gostava de vos falar um bocadinho sobre pele atópica e dar algumas dicas para quem sofre deste problema, por forma a ajudar a amenizar as lesões cutâneas típicas. Comecemos por definir a pele ou dermatite atópica - é uma doença da pele crónica e recorrente, cujo principal sintoma é a comichão (medicamente falando, prurido), e que tem períodos de surtos e remissões. É um problema que afecta pessoas que têm predisposição genética para reagir de forma excessiva aos estímulos do ambiente (condição chamada atopia) e as predispõe às ditas "doenças alérgicas", sendo frequente a associação da dermatite atópica com doenças como a asma e a rinite alérgica. O principal grupo etário afectado são as crianças, mas pode ocorrer em qualquer idade. Existem algumas zonas mais típicas onde as lesões aparecem, tais como a face (nos bebés), zonas de flexão (atrás dos joelhos, axilas, virilhas, etc), pulsos e tornozelos e mãos (que contactam com vários agentes que agridem a pele, como os detergentes).

Fonte


Conselhos:
1) Hidratar, hidratar, hidratar - todos os dias, com produtos bem emolientes e, se for preciso, mais do que uma vez (e não convém mudar de hidratante com muita frequência). Esta é a base para o controlo da doença.
2) Água tépida e banhos curtos - não há necessidade de restringir o número de banhos, mas a água muito quente deve ser evitada, bem como os banhos longos (recomenda-se que se feche a torneira durante o duche, para minimizar o tempo de exposição à água quente). Os produtos de limpeza  devem ser suaves e a pele deve ser seca com toques da toalha e sem esfregar (para não irritar a pele).
3) Roupa de algodão ou fibras naturais - a pele atópica tolera mal fibras sintéticas e lãs. Pode ser importante tirar as etiquetas da roupa e utilizar roupa de cama adequada (evitar materiais sintéticos, flanela, edredões e almofadas de penas). Deve evitar estender-se a roupa na rua durante os períodos em que há mais pólen no ar. Também o calçado é importante, devendo permitir a transpiração.
4) Ambiente - evitar ares condicionados, ambientes com muito pó (alcatifas, peluches, etc.) ou fumo. Arejar bem o quarto, tanto no Verão como no Inverno.
5) Evitar coçar - manter as unhas curtas e evitar coçar para  não traumatizar a pele sensível. Quanto mais se coça, mais se danifica a pele, o que provoca fibrose, espessamento e hiperpigmentação.
6) Evitar o suor excessivo - é essencial tomar banho imediatamente após o exercício físico para remover a transpiração (ou os químicos das piscinas).
7) Alimentação - se repararem que algum alimento agrava o quadro clínico, esse alimento deve ser evitado. Porém, a necessidade de evicção alimentar é controversa. Há alguns alimentos que são particularmente alergénicos (têm mais tendência a criar alergias) - frutos secos, frutos tropicais, morangos e kiwis, marisco.

Apesar de todos os cuidados referidos acima, a pele atópica pode necessitar de tratamento direccionado. Os anti-histamínicos ajudam a controlar o prurido e os sinais de irritação cutânea. Os corticóides tópicos devem ser utilizados com precaução, apenas se necessário e em períodos curtos (uma vez que causam atrofia da pele). Existem tratamentos mais recentes - imunomoduladores tópicos -, que actuam no controlo da resposta inflamatória cutânea e não têm os efeitos colaterais locais dos corticóides.
Alguém por aí sofre deste problema? Espero que esta publicação possa ter sido útil!
Beijinhos*

8 comentários:

  1. Eu! Descobri que o leite de vaca agravava bastante o quadro clínico, ainda assim todos os tópicos que mencionaste fazem parte da minha rotina. Felizmente encontrei o hidratante corporal que resulta comigo há já 3anos que é o mesmo! Isto porque foi extremamente difícil encontrar o hidratante que " funcionasse "comigo, tive de experimentar dezenas... Beijinhos, adoro o teu blog!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito! Às vezes é mesmo difícil encontrar "o" creme!

      Beijinhos e obrigada!

      Eliminar
  2. Eu tenho, mas é muito leve e manifesta-se quase só nas mudanças de estação ou no excessivo calor (e, por isso, suor) do Verão. É horrível! (Ainda por cima porque adoro banhos quase a escaldar e tenho que me privar deles). E tenho também rinite alérgica, por acaso não sabia e nunca me disseram que as duas estavam ligadas! :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os banhos quase a escaldar não fazem bem a nenhuma pele, na verdade :X Mas sabem tão bem!
      Agora já sabes! És uma pessoa atópica :p

      Eliminar
  3. Eu tenho esse problema a juntar ao eczema e à rinite alérgica. Tudo o que aí disseste faz parte da minha rotina diária. Quando percebi o meu problema demorei a aprender tudo o que tinha de fazer mas agora já é rotineiro :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim é que é! =) Pode dar trabalho, mas andas muito melhor, de certeza ;)

      Eliminar
  4. Muito obrigada pelo post. Eu tenho pele atópica. Foi detectado aos 6 anos e já lá vão 22. Uso produtos específicos mas mesmo assim tenho algumas crises. Os fatores que fazem piorar é a ansiedade. Basta estar um bocadinho ansiosa que encontro um local para coçar e muitas vezes até fazer ferida. Com os hidratantes vai melhorando e o meu dermatologista nas emergências receita um corticóide atópico. Segundo ele com um asiolítico iria melhorar bastante mas que é um medicamento "forte" e se conseguir ter as unhas curtas e usar hidratante (e o gel de banho/sabonete correspondente) consigo passar bem melhor.
    Recentemente descobri que tenho rinosinusite vasomotora, e agora que li o teu post vejo que realmente pode estar tudo relacionado!
    Obrigada pela partilha!
    Beijinhos, Filipa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, a ansiedade também pode ser um factor desencadeante! Tens que tentar contrariar "os nervos" ;)

      Beijinhos*

      Eliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...