segunda-feira, 21 de agosto de 2017

BRUSHES | Os novos pincéis da Primark - PS.Pro

A Primark lançou recentemente um conjunto de pincéis bastante interessante, com um aspecto mais profissional e menos "pincéis baratos". São da linha PS.Pro e decidi comprar alguns destes pincéis e hoje é dia de vos mostrar as minhas escolhas e falar um pouco sobre cada um deles.

Os pincéis vêm em embalagens de plástico, protegendo as cerdas

Pincéis de olhos

Pincéis de rosto


Pincéis de olhos
Eyeshadow Shading Brush (232): pincel de sombras achatado, de cerdas brancas. Funciona bastante bem para este propósito, agarrando bem a cor e depositando-a na pálpebra sem grande dificuldade. Como é um pincel de cerdas brancas, poderá ficar manchado com algumas sombras mais escuras ou mais garridas. Custa 2€.




Duo Blending Brush Set (220 + 230): como o nome indica, traz dois pincéis de esfumar - um preto (220), menos denso e com cerdas mais compridas e outro branco (230), mais denso e discretamente achatado. Comprei este conjunto principalmente pelo pincel branco, pois tenho preferência pelos pincéis mais densos para esfumar, uma vez que tornam o processo um pouco mais rápido. O pincel branco, sendo discretamente achatado torna-se versátil, podendo ser utilizado na vertical para chegar a uma maior área ou deitado para uma aplicação mais precisa. É extremamente parecido ao E25 da Sigma. Dos pincéis que comprei, este é o único que vai largando alguns pelinhos durante a aplicação. Costumo utilizar o pincel preto sem sombra para ajudar a esfumar alguma linha que tenha ficado mais marcada. Custam 4€ (conjunto).




Duo Precision Brush Set (250 + 236): mais uma dupla de pincéis, para aplicação de sombra com maior precisão. Traz um pincel tipo lápis (250), "pontiagudo", que funciona muito bem para esfumar sombras na linha das pestanas, para aplicar sombra no canto interno ou para marcar o côncavo em maquilhagens mais precisas. Traz ainda um pincel curto e denso (236), que funciona muito bem para construir a cor. Gosto de marcar a cor no canto externo com este pincel, puxando-a para o côncavo e depois esfumo com um pincel mais fofinho. Custam 4€ (conjunto).





Pincéis de rosto
Large Powder Brush (105): comprei este pincel com o intuito de o utilizar para aplicar bronzer. Acho-o pequeno para aplicar pó (para quem aplica pó no rosto todo, como eu - gosto de pincéis bem grandes para esta função), mas é um daqueles pincéis que serve para diferentes propósitos, principalmente para aplicação de pó, blush ou bronzer. Não é o pincel mais fofo de sempre, mas não é de todo mau - não chega a picar. Não é muito denso, pelo que conseguirão utilizar produtos muito pigmentados sem fazer asneira. Custa 4€.




Powder Contour Brush (186): para quem gosta de fazer contorno, os pincéis com este formato costumam funcionar muito bem, pois são bem compridos e densos, encaixando bem na depressão que se forma no rosto quando fazemos a típica "boca de peixe". É mais suave do que o anterior e bastante mais denso. Custa 4€.




Touch Up Brush (141): mais um daqueles que pode servir para várias coisas: aplicar corrector, aplicar o pó na zona das olheiras, aplicar iluminador... Eu gosto essencialmente para o iluminador, mas ainda vou comprar outro para aplicar o pó na zona das olheiras. Não é muito denso e é meio achatado. Custa 3€.




Na lavagem só o pincel de esfumar branco (230) é que deitou um ou dois pelinhos, os outros mantiveram-se intactos. Este é também o pincel que de vez em quando perde um pelinho; nos outros não notei.



Como disse, não comprei todos os pincéis, porque achei que não iria usar - deixei na loja o pincel Duo Fiber e o Foundation Brush. Tinham ambos aspecto de serem bons, principalmente o de base, mas só raramente utilizo este tipo de pincéis.

De um modo geral, achei estes pincéis bastante interessantes, com uma relação qualidade-preço excelente. Se querem que vos diga, não são muito diferentes dos meus pincéis da Sigma (tenho pincéis da Sigma mais ásperos do que estes e também tenho alguns que largam cerdas durante a utilização). Em alguns deles conseguem ver que há algum pelinho ou outro que fica mais deslocado, mas, tirando esse aspecto, os acabamentos são bons, os cabos estão bem colados e todos os pincéis estão numerados. Para quem esteja a iniciar-se no mundo da maquilhagem, estes poderão ser uma boa aposta! Recomendo!

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

NAILS | Lace nails (unhas com carimbo)

A manicure que estive a utilizar nas últimas duas semanas (entretanto já mudei) fez furor entre as pessoas mais próximas de mim. Desta vez fiz uma coisa um pouco diferente - utilizei "carimbos"! Lembro-me perfeitamente da altura em que a Konad lançou umas plaquinhas de metal com bonecada, o carimbo e umas quantas cores de vernizes para carimbar. Na altura comprei, mas confesso que nunca consegui fazer nada de jeito. De momento já existe imensa oferta neste campo, incluindo os carimbos transparentes que, na minha opinião, fazem toda a diferença para percebermos onde e como estamos a carimbar.



O verniz nude é o Woods da Purple Professional, o meu nude favorito. É um nude clarinho, tipo leite com umas gotinhas de café (não tem um subtom rosado). Discreto mas lindíssimo!



Estes foram os produtos que utilizei para carimbar, todos comprados no AliExpress: placa BP-02 (aqui), carimbo (aqui) e verniz preto para carimbar (aqui). Não tenho prática nisto do nail stamping, mas correu tudo lindamente sem grande dificuldade. As "pedrinhas" pretas são estas (traz vários tamanhos diferentes).


Resumidamente, a forma como se utilizam estes carimbos é a seguinte: aplica-se um pouco de verniz no desenho que queremos carimbar, raspa-se com o scraper para o verniz ficar distribuído uniformemente por todo o desenho, "apanha-se" o verniz com o carimbo e carimba-se o desenho na unha. Pode parecer estranho, mas a verdade é que é muito fácil. A única coisa a ter em atenção é que quando se aplica o top coat por cima do verniz (pelo menos este que tenho) é importante não passar muitas vezes com o pincel, caso contrário o verniz começa a borrar um pouco. O meu conselho é aplicar uma gota generosa na base da unha e depois espalhar o verniz em direcção à extremidade com 3 ou 4 passagens no máximo. Pelo que andei a ver, os vernizes de gel não são a melhor opção para carimbar (principalmente aqueles que tendem a encolher), mas não experimentei. Este verniz preto funcionou lindamente, é bem espesso e seca bem rápido (é preciso trabalhar rápido entre o raspar o verniz e o carimbar na unha!).
Já experimentaram esta técnica?

terça-feira, 8 de agosto de 2017

NEW IN | Mini haul da KIKO (incluindo um dupe do batom Whirl da MAC!)

No fim-de-semana passei na KIKO do Fórum Sintra para ir espreitar a nova colecção de Outono - Fall 2.0. As embalagens azuis seduziram-me assim que abri a newsletter a mostrar as novidades. Trouxe duas sombras desta colecção e acabei também por trazer mais dois produtos, um dos quais um dupe quase perfeito de um dos meus batons nudes favoritos do momento - o Whirl da MAC.



Começando pelas sombras, a colecção Fall 2.0 da KIKO traz-nos 6 sombras magnéticas super diferentes de qualquer outra sombra que já experimentei. São sombras soltas mas que à primeira vista parecem uma sombra compacta, porque ficam "agarradas" ao íman colocado na base da embalagem; só quando colocamos o dedo ou o pincel na sombra é que percebemos que se trata de um pigmento solto. A textura delas é super aveludada (nunca vi igual) e são extremamente finas. O acabamento é metalizado e bem brilhante, para além de serem muito pigmentadas. As duas cores que trouxe foram a 01 Over The Taupe (castanho acinzentado) e a 03 Power Copper (cobre), ambas bem brilhantes e com acabamento metalizado. Estas sombras custam 12,95€.






Utilizei hoje a 03 Power Copper em toda a pálpebra móvel, juntamente com alguns tons quentes da Naked Heat e adorei o resultado. Para ter a certeza que não caía demasiada sombra durante a aplicação e ao longo do dia, por baixo apliquei uma glitter glue, que garante uma maior adesão dos glitters e dos pigmentos soltos. Desta forma caiu muito pouca sombra para o rosto. O meu conselho quando utilizam glitter ou pigmentos soltos (ou até mesmo sombras com muitos brilhinhos e com muito fall-out) é, para além de utilizarem uma base aderente, maquilharem os olhos antes do rosto, para terem a certeza que conseguem limpar as partículas que caem sem estragar nada que já tenham feito.



Edit: e já utilize também a sombra 01, que fica igualmente linda, mas mais discreta do que a 03 (embora seja uma cor daquelas em que se vêm bem que a estamos a utilizar).




Trouxe também um pincel para utilizar com o delineador da INGLOT para fazer tightline (sairá um post em breve sobre o assunto) - o Eyes 61 Graphic Eyeliner Brush, um pincel de corte horizontal e cerdas sintéticas, com alguma firmeza mas sem ser demasiado rijo. Já o experimentei hoje também e cumpriu bem a função de delinear a linha de água superior. Estava com 30% de desconto, tendo custado 7,60€.



Por fim, um batom nude. Não tinha reparado que a KIKO tinha lançado novas cores dos Velvet Passion Matte Lipsticks (do 326 ao 333 são tons novos) e descobri este nude perfeito lá no meio dos muitos batons que a KIKO disponibiliza. Falo então do 328 Rosy Brown, um castanho rosado lindíssimo que serve tanto para quem não gosta de batons nude demasiado rosados ou demasiado acastanhados, visto ter um balanço muito equilibrado destes dois tons. O acabamento é mate e, apesar de não ficar super mate logo após aplicação, vai secando nos lábios e fica mais mate conforme o tempo passa, e vai aderindo aos lábios conforme o tempo passa. Assim sendo, ele transfere consideravelmente se tocarem nos lábios logo após aplicação, mas ao final de algumas horas fica mais assente nos lábios e transfere pouco; também acaba por repuxar um pouquinho conforme assenta nos lábios. A durabilidade é bastante boa para um batom em bastão - sobreviveu ao meu iogurte com fruta do meio da manhã sem grandes alterações. Não sobreviverá, com certeza, a refeições mais gordurosas. Custam 6,95€.






A parte interessante e uma descoberta bastante agradável é que este batom da KIKO é um dupe quase perfeito do Whirl da MAC! O Whirl é um pouco mais escuro e tem melhor pigmentação, mas as semelhanças são mais do que as diferenças, como podem ver pelas fotografias abaixo (incluí também o Spirit, mas este é um pouco mais claro do que os outros dois e não tem acabamento mate).




O que acharam destes produtos? Ficaram de olho em algum?

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

CONSULTÓRIO | Higiene íntima feminina

A higiene genital feminina é um tema muito importante, uma vez que facilmente se cometem erros, principalmente se tivermos em conta que há muita desinformação sem grande fundamento por este mundo fora. Deste modo, decidi fazer esta publicação no sentido de informar correctamente sobre o assunto, de acordo com orientações fundamentadas na investigação científica.

Fonte


O que é a higiene íntima (feminina)?
Define-se como as práticas de asseio da região ano-genital da mulher, no sentido de a manter livre de humidade e resíduos (urina, fezes, fluidos), prevenindo eventuais infecções ou desconforto.

O pH normal da vulva é ácido, variando entre 3,8 e 5,9,  e altera-se ao longo das várias idades e das várias fases do ciclo menstrual, dependendo do nível hormonal, da presença de lactobacilos (bactérias boas e protectoras) e de ácido láctico. A manutenção do pH ácido nesta região é fundamental na prevenção e controlo de doenças, pelo que a sua alteração, pela oclusão e uso de produtos alcalinos, facilita o aparecimento de infecções, prurido, irritação e/ou inflamação.

Existem vários factores extrínsecos (externos ao nosso corpo) que podem interferir com o bem-estar genital feminino e, em certos casos, estes podem ter influência no desenvolvimento de alguns distúrbios genitais: actividade sexual, alimentação, vestuário, hábitos de higiene, utilização de pensos diários, medicamentos, entre outros. O nosso estado hormonal e emocional pode também interferir com o bem-estar.


Dicas importantes
1. Conhecer a própria anatomia
Não há nada mais importante do que conhecermos o nosso corpo. Não é fácil observarmos a nossa própria região genital, mas podemos fazê-lo com a ajuda de um espelho! Se o fizermos regularmente podemos perceber facilmente se existem alterações.
Fonte


2. Saber "o que lavar"
As zonas que devem ser lavadas são o monte púbico, a pele da vulva, a raiz das coxas, a região perianal (ânus e "arredores") e o interior dos grandes e dos pequenos lábios (incluindo os sulcos entre os lábios e a região prepucial, ou seja, o clítoris). Não se recomenda a introdução de água e/ou outros produtos no interior da vagina (lavagens ou duches vaginais).

3. Saber como lavar
Podem achar que a técnica de higiene tem pouca importância, mas a verdade é que esta pode ter alguma influência no desenvolvimento de infecções genitais. As regiões descritas no tópico anterior devem ser higienizadas com água corrente tépida (evitar água demasiado quente) e com produtos de higiene adequados, fazendo movimentos suaves e que evitem trazer o conteúdo perianal para a região vulvar. Não utilizar gel de banho ou sabonete com perfume para evitar irritação local.
A região genital deve ser seca cuidadosamente com toalhas secas e limpas, que não agridam a pele, e sem esfregar.
O tempo de higiene genital não deve ser superior a dois a três minutos, para evitar a secagem excessiva local.

4. Frequência diária de higienização
Depende do clima, biótipo, actividade física e doenças associadas de cada mulher. De acordo com esses factores, a frequência adequada poderá variar entre uma a três vezes por dia. Na menopausa, uma vez que o epitélio tem menor espessura, recomenda-se lavar, no máximo, duas vezes por dia, utilizando produtos próprios com pH próximo do fisiológico, para evitar maior secura e desconforto.
Higiene após o contacto sexual: a higiene após as relações sexuais é muito importante, no sentido de evitar infecções indesejadas. Logo após o contacto íntimo deve tentar-se urinar para evitar o surgimento de infecções urinárias e posteriormente procede-se com a lavagem da região genital, como foi descrito anteriormente (com água e produto adequado para higiene íntima). Mais uma vez, as lavagens/duches vaginais não estão recomendados. Em caso de secura ou irritação durante o acto sexual, deve utilizar-se um lubrificante sem substâncias químicas irritativas (utilizar um lubrificante de base aquosa). O preservativo pode ser importante para evitar o contacto do esperma com os genitais, no sentido de diminuir o ardor e a irritação após a relação sexual.

5. Tipo de produto
Devem utilizar-se produtos próprios para a higiene íntima, que sejam hipoalergénicos, com adstringência suave e pH ácido (idealmente entre 4,2 e 5,6). Deve dar-se preferência aos produtos líquidos, uma vez que os produtos sólidos podem ser demasiado abrasivos (e geralmente apresentam pH demasiado alto). Não utilizar o vulgar sabão "azul e branco"!

6. Hidratação local
Possivelmente o passo mais negligenciado da higiene íntima, a hidratação da região genital revela-se importante principalmente após a menopausa, altura em que a pele tende a tornar-se mais seca. Devem utilizar-se hidratantes em gel ou cremes vaginais de base aquosa, com pH ácido e compatíveis com a mucosa vaginal (podem conter glicóis e ácido láctico).

7. Utilizar roupa respirável
A roupa que utilizamos deve favorecer a ventilação local (algodão) e a roupa demasiado justa ou apertada deve ser evitada. É importante trocar as roupas íntimas diariamente. Os fatos de banho molhados e o vestuário utilizado durante a prática de actividade física devem ser trocados o mais rapidamente possível. 

8. E durante a menstruação?
Nesta fase, a higiene deverá ser mais frequente, para aumentar a remoção mecânica dos resíduos menstruais e reduzir a humidade prolongada. Alguns factores durante a menstruação aumentam a probabilidade de irritação vulvar: sangue menstrual, maior produção de secreção sebácea, sudorípara e glandular e uso prolongado de pensos higiénicos com película plástica externa e/ou perfume. Os pensos higiénicos desodorizantes não devem ser utilizados; os tampões são seguros, desde que mudados com frequência.

Outras coisas a evitar
Sprays, perfumes, talcos ou lenços humedecidos. A utilização sistemática de penso higiénico diário não é recomendada - no caso das mulheres com excesso de transpiração ou incontinência urinária, é importante manter a região genital seca recorrendo ao uso de pensos higiénicos transpiráveis (sem película plástica) ou outro vestiário absorvente adequado; nestes casos, pode ser importante trocar a roupa interior a meio do dia.


Produtos para higiene genital feminina
Existem diversos produtos nesta área, que podem ser divididos de acordo com a sua função: agentes de limpeza, hidratação, protecção e facilitação das relações sexuais. Vou focar-me apenas nos produtos de limpeza.
Os agentes de limpeza não têm como função eliminar todas as bactérias da região genital (uma vez que esta região tem uma flora vaginal própria e protectora), mas sim garantir a eliminação de resíduos e secreções. Os produtos de limpeza são essenciais, uma vez que a água não é suficiente para garantir uma limpeza completa. É importante escolher produtos com detergência suave, isto é, que formem pouca espuma, uma vez que estes afectam menos a barreira cutânea. 
Como já disse, devem ser utilizados apenas externamente e não são indicados para fazer lavagens vaginais.

Os sabões comuns são quase sempre sólidos, têm boa detergência, bom poder emulsificante e produzem bastante espuma, mas têm pH alcalino, que pode destruir a camada superficial lipídica da pele, originando secura excessiva. Os sabões transparentes (glicerina, por exemplo), podem absorver água em excesso para fora da pele, causando potencialmente mais secura e irritação. Para compensar estes efeitos, muitas vezes as marcas associam outros componentes humidificantes aos sabonetes (óleos vegetais, lanolina, pantenol...) ou ácidos gordos (deixam um fino filme lipídico na pele, com a função de protegê-la). Os sabonetes alcalinos não são indicados para a higiene íntima, uma vez que criam condições desfavoráveis à multiplicação dos lactobacilos (as nossas bactérias boas e protectoras). Os produtos em barra também não são uma boa opção, por serem demasiado abrasivos.

Os sabões íntimos podem incorporar algumas substâncias benéficas para a área genital: ácido láctico (acção hidratante e regulador do pH), alfabisabolol, extracto de maçã, aveia (anti-irritantes), alantoína, pantenol (regeneradores e protectores), polidocanol (anti-prurido), piroctonolamina (anti-séptico), entre outros. Podem encontrá-los em diversos formatos:
- Gel: são constituídos por uma fase aquosa, com pouca ou nenhuma quantidade de lípidos. Normalmente o seu uso é agradável, pela sensação de frescura. 
- Toalhetes humedecidos: podem ser úteis em algumas situações (higiene fora de casa, WCs públicos, etc.), mas o seu uso não deve ser abusivo, pelo risco de poderem remover o filme lipídico da pele. Podem ser sensibilizantes, pelas substâncias que contêm (perfume, por exemplo). Devem ser utilizados suavemente.
- Sabonete em barra: são utilizados com frequência, tanto pela tradição como pelo seu preço acessível. Como são alcalinos, podem promover secura e diminuição da acidez local. É necessário ter em atenção o facto de poderem muitas vezes ser partilhados em meio familiar, o que aumenta o risco de contaminação.
- Sabonetes líquidos íntimos: na maioria dos casos são à base de ácido láctico, por este ser um componente natural da pele, podendo conter outras substâncias benéficas. O seu principal atributo é manter o pH mais próximo do ideal para o desenvolvimento e manutenção das células da pele.

Já há muitos anos que utilizo a marca Lactacyd, mais concretamente a versão Gel para higiene íntima diária, que peca apenas por ter perfume. É suave, não arde, não causa irritação e não me deixa desconfortável. Todos os produtos Lactacyd, tal como o nome indica, são enriquecidos com ácido láctico semelhante àquele produzido pelo nosso corpo, para além de terem um pH adequado, o que ajuda a manter o pH local equilibrado.
Descobri há pouco tempo que a marca tem outras versões disponíveis (suponho que seja coisa relativamente recente): Sensitive (para quem tem a zona íntima sensível ou mais propensa a irritações), Antiséptico (reforça as defesas naturais da zona íntima, sendo indicado especialmente para grávidas, pós-parto ou em situações de risco acrescido, como a prática de natação, uso de roupas apertadas, etc.), Hidratante (indicado durante a menopausa e pós-menopausa, ou quando há tendência para secura vaginal), Suavizante (acalma e atenua os sintomas de desconforto vaginal associados a infecções e irritações, como comichão, ardor e vermelhidão).



A Omega Pharma enviou-me a versão Sensitive, que é formulada com um sistema de limpeza extra-delicado e sem perfume, para garantir que é o mais delicado possível, minimizando a hipótese de causar irritações locais. É super suave, faz pouca espuma e não tem perfume, tudo características que devemos procurar no nosso produto de higiene íntima.

Espero que esta publicação tenha sido útil!
Por fim, sempre que se notar alguma alteração na região genital, tais como cheiro diferente, corrimento, prurido (comichão) ou ardor, o mais adequado é recorrer ao médico de família ou ginecologista, porque podem ser sinais de doenças que necessitam de tratamento adequado e dirigido.
Nota: o Lactacyd foi-me enviado pela Omega Pharma, mas esta publicação não é paga e o facto de o produto ter sido enviado não influencia a minha opinião.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

FAVORITES | Favoritos de Julho'17

Último dia do mês é sinónimo de favoritos do mês! Nem sempre faço este tipo de publicações, porque não tenho favoritos novos todos os meses e não quero estar a mostrar sempre os mesmos produtos (outras vezes também me esqueço, confesso!). Este mês tenho alguns favoritos dos quais ainda nunca vos falei, por isso, este mês temos direito a favoritos do mês!



Urban Decay Optical Illusion Complexion Primer: o melhor primer de rosto que já experimentei até agora e dos poucos que gosto verdadeiramente. A sua principal função é minimizar o aspecto das imperfeições do nosso rosto - poros e linhas finas -, deixando a pele com um aspecto mais perfeito. E e isso mesmo que noto - deixa a pele mais perfeita, aveludada e esse aspecto mantém-se mesmo após a aplicação dos restantes produtos no rosto e mesmo ao longo do dia, sem comprometer a durabilidade da maquilhagem como sinto com muitos outros primers. Aliás, na minha pele até prolonga a durabilidade da maquilhagem, mantendo-a com um aspecto mais fresco (como se tivesse sido aplicada há pouco tempo) durante mais tempo. Este primer contém alguns óleos na sua composição (argão, rosa mosqueta e sementes de limnanthes alba), mas não deixa a pele oleosa, e vitamina E.
▷ RCMA Translucent Powder: só há uns dias me apercebi que não comprei o pó mais badalado da RCMA (o No-Color Powder). Ainda assim, este merece muito o seu lugar nos favoritos do mês (e pelos ingredientes não acredito que o efeito seja muito diferente, mas ainda vou mandar vir o outro para testar). A marca diz que este pó tem efeito de longa duração e um acabamento airbrushed e mate, ao mesmo tempo que favorece a luminosidade e cobertura da base que aplicámos por baixo. O que eu acho é que deixa a pele com um efeito super sedoso, nada empoeirado e que promove o aumento da durabilidade da base. É realmente mate, mas sem deixar a pele demasiado sem vida. Não sei como se comporta em peles mas escuras (principalmente nas pessoas de raça negra), mas dá-me ideia que pode deixar algum efeito esbranquiçado. A única coisa chata neste pó é mesmo a embalagem, que parece um frasco de especiarias, tornando-se pouco prático, O preço é imbatível - 13,80€ por 85g de pó. Podem encontrar na Beauty Bay (o original é este).
▷ Flormar Terracota Blush-On 43 Golden Peach: um dos produtos mais conhecidos da marca é também um dos meus favoritos (o único do qual gosto verdadeiramente entre os produtos que já experimentei da marca). Apesar de poder parecer mais um bronzer do que um blush, tenho-o utilizado como blush frequentemente, quando utilizo maquilhagens mais quentes, porque acho que combina na perfeição. Tem uma tonalidade pêssego, com uma muito discreta luminosidade (não é mate, mas não chega a ser brilhante).
▷ Nabla Shade&Glow Obsexed: quase não utilizei outro iluminador desde que este me chegou cá a casa. Faz parte da colecção Freedomination, mas vai ficar em linha. É um iluminador duochrome, com uma base champanhe e reflexos rosados/pêssego (mostrei nesta publicação). Dura na pele o dia todo e podem encontrá-lo no site da Nabla, na Maquillalia ou na Kitchen Makeup Boutique.
▷ Nabla Eyeshadows Alchemy, Mystic, Millennium e On The Road: também fazem parte da colecção Freedomination e são simplesmente fantásticas. Mostrei-as nesta publicação e tenho-as utilizado como se não tivesse outras sombras na minha colecção. Deixo-vos abaixo 3 maquilhagens de olhos que fiz utilizando como base estas sombras.

Alchemy

Mystic

On The Road em toda a pálpebra móvel e Millennium no centro da pálpebra


E agora.. Venha Agosto!